terça-feira, 7 de março de 2017

LOT No.1 Cabernet Sauvignon 2013.


  Vinho : LOT No.1
  Tipo : Tinto Seco
  País : Estados Unidos
  Região : Califónia/Napa Valley
  Produtor : Louis M. Martini Winery
  Castas : 100% Cabernet Sauvignon
  Teor Alcoólico : 15,3%
  Onde Comprar : wine.com.br
  Preço : R$275,00

   LOT No.1 2013 se apresenta no visual com uma cor vermelho violáceo intenso, lágrimas escuras, abundantes e lentas. Complexo nos aromas, com notas de amora, ameixa seca, baunilha, chocolate e cassis. Na boca bem elegante taninos domados, acidez muito boa e álcool equilibrado, mesmo com seus 15,3%. Muito especial esse vinho. Apesar dos 24 meses de barrica ainda se aprensenta com bastante fruta, uma ótima integração entre a madeira e a fruta. Um vinho muito bem trabalhado, nunca abri uma garrafa desse califoniano que não me agradasse. Sempre elogiado por todos da mesa.
   Ficaria muito bem com o cordeiro asturiano do restaurante El Molino. O cordeiro que o chefe Jorge Diego prepara combina perfeitamente com esse vinho
 

domingo, 5 de março de 2017

Carmelo Patti 2006. Um argentino com jeitão de Bordeaux.


 Vinho : Carmelo Patti
 Tipo : Tinto seco
 País : Argentina
 Região : Luja de Cuyo
 Produtor : Carmelo Patti
 Safra : 2006
 Castas : 100% Cabernet Sauvignon
 Onde comprar : vinhobr.com.br
 Preço : R$111,00

     Carmelo Patti 2006, com o conceito de vinhos de garagem ou vinhos cult é assim que se apresenta esse produtor. Vinho tem um ano e barrica francesa de várias usos e no mínimo quatro anos em garrafa pra chegar ao mercado. Segundo seu produtor só se deve por um vinho no mercado quando ele está pronto pra ser degustado.
     No visual vermelho granada com um certo halo de evolução, lágrimas bem presentes. Seus aromas são de ameixa seca, couro, caixa de charuto e defumados. Na boca elegantíssimo, bela acidez, equilibrio perfeito de tanino, álcool e acidez. Retrogosto bem longo, que nos remete a chocolate meio amargo. Espetáculo esse vinho, realmente uma obra de arte.
  Pra harmonizar um filé alto, crocante por fora e sangrando por dentro com aspargos verdes. Foi com esse prato que bebi essa jóia.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Linda Flor Malbec 2010. Vale do Uco, um novo jeito de fazer malbec.


   Vinho : Linda Flor
   Tipo : Tinto seco
   País : Argentina
   Produtor : Bodega Monteviejo
   Região : Vale do Uco Mendoza
   Safra : 2010
   Castas : 100% Malbec
   Teor alcoólico : 15%
   Preço : R$ 160,00

   Linda Flor Malbec 2010, límpido, vermelho rubi violáceo intenso, lágrimas  abundantes que descem lentamente pela taça. No rariz percebemos frutas negras tipo ameixa seca, defumados (tipo carne assada), pimenta do reino, couro e tabaco. Na boca ótima acidez, álcool na medida certa e taninos macios. Retrogosto longo que nos remete a chocolate, cassis e ameixa.
  Maravilhoso esse vinho. Pra hormonizar indico um bife ancho suculento e mal passado...

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Brumont Gros Marseng Sauvignon 2014.




    Vinho : Brumont
    Tipo : Branco seco
    País : França
    Região : Sudoeste da França
    Produtor : Alan Brumont
    Safra : 2014
    Castas : 50% Gros Marseng / 50% Sauvignon blanc
    Onde Comprar : Decanter
     Preço : R$ 85,00

   Brumont Gros Marseng Sauvignon 2014 tem com amarelo palha com notas esverdeadas, limpido e brilante. Nos aromas notas cítricas de abacaxi e lima, aromas de flores brancas e também notas minerais. É extremamente complexo no nariz esse vinho. Na boca uma acidez estupenda, chega a picar a língua como um vinho verde de alto padrão. Achei um espetáculo esse vinho e 7recomendo de mais.
    Pra hamonizar pratos leves tipo frutos do mar sem muito molho e principalmente o que eu acho que vai muito bem com esse vinho são os queijos azuis tipo roquefor ou gorgonzola.

PS. Este vinho quem nos ofereceu foi o amigo Demétrio Jereissate, na ocasião harmonizamos com o porquinho típico da Bairrada e foi muito bem por sinal. Só lembrando que na Bairrada se come o porco com vinho frisante.
   

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Pio Cesare Barbaresco 1974. Monstrando a evolução dessa fantástica uva nebiolo.

 
    Vinho : Pio Cersare Barbaresco DOC
    Tipo : Tinto seco
    País : Itália
    Região : Piemonte
    Produtor : Pio Cesare
    Safra : 1974
    Casta : 100% Nebiolo
    Teor Alcoólico : 13,5%

 Este até hoje foi o vinho tinto seco tranquilo mais evoluído que degustei.
 Pio Cesare Barbaresco 1974, um vinho que expressa todos os encantos e evolução dessa fantástica uva chamada nebiolo.
 No visual uma cor vermelho atijolado, exibindo um belo halo de evolução e lágrimas de médio quantidade. No nariz notas balsâmicas, terra molhada, cogumelo, chá e fruta seca. Na boca elegante e mesmo com os 43 anos, por incrível que pareça ainda tinha tanino. É realmente impressionate essa uva nebiolo. Vinho maravilhoso.
 Pra acompanhar escolhi um Stinco de Cordeiro do Restaurante Bella Itália.

PS. Vinho levado pra nossa confraria pelo amigo Danilo Arruda. Lord Danilo, você está de parabéns pelo belíssimo vinho.

   

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Stefano Lubiana Primavera Pinot Noir 2015. Já provaram vinho da Tasmânia?


   Vinho : Stefano Lubiana Primavera
    Tipo : Tinto seco
    País : Austrália
    Região : Tasmânia
    Produtor : Stefano Lubiana Wines
    Safra : 2013
    Teor alcoólico : 13%


    A Tasmânia é uma ilha localizada a sudeste da Austrália famosa por um personagem de dezenho animado (Taz) e pelas suas uvas de clima frio (Chardonay, Pinot Noir e Pinot Gris), produz ótimos pinots e belos espumantes.
    Stefano Lubiana Primavera Pinot Noir 2013 se apresenta límpido na taça, com lágrimas em médio quantidade, cor vermelho rubi translucido. Aromas de rosas vermelhas, frutas vermelhas maduras (morango, framboesa, cereja), também notas terrosas, chá e um leve defumado. Achei bem complexo e muito interessante. Na boca ótima acidez, retrogosto longo que nos remete a morango maduro. Gostei demais desse vinho.
    Pra harmonizar iria de Magret de pato com molho de amora.

   PS. Este produtor começou a produzir vinho na Tasmânia a partir de 1990. Na verdade, procurando uma região fria na Austrália pra produzir espumantes se depararou com a Tasmânia. Hoje produz vinhos biodinâmicos de excelente qualidade.

 

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Come se il Colle. Um merlot italiano magnífico.


   Vinho : Come se il Colle 2006
   Tipo : Tinto seco
   País : Itália
   Região : Toscana
   Produtor : Azienda Agraria il Colle di Caterina Carli.
   Safra : 2006
   Casta: 100% Merlot
   Onde comprar : Bottega Dell'Arte Del Vino ( Milão). Infelizmente não importam pra o Brasil.

 
   Come se il Colli 2006, cor vermelho ruby com toques violáceos, muitas lágrimas e apesar de 11 anos de existência ainda se apresenta novo no visual.
   No nariz a princípio muita fruta negra e chocolate, mas com o passar do tempo evoluiu com notas terciárias de baunilha, tostado, couro, café. Ganhou uma complexidade invejável. Na boca ótima acidez, álcool bem equlibrado e taninos macios. Retrogosto longo de café e chocolate.  Gostei absurdamente desse toscano.
   Hamonizei com um grelhado de miolo de picanha, foi perfeito.
PS. Vinho oferecido pelo amigo Beto Mendonça. Parabéns pelo vinho Beto, realmente um vinho espetacular.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Sketch 2009. Um vinho diferente, supreendente e especial.


  Vinho : Sketch
  Tipo : Branco seco
  País : Espanha
  Região : D.O. Rias Baixas
  Produtor : Raul Perez
  Safra : 2009
  Casta % 100% Albarinho
  Onde comprar : Casa do Porto (São Paulo)
 
   Sketch 2009, um vinho diferente. Estagia 7 anos em barricas barricas francesas de 750 litros e após engarrafado permanece 6 meses submergido a 60 metros nas águas frias do oceano atlântico.
  Cor amarelo palha com toques esverdeados, lágrimas grossas e lentas. No nariz franco, mineral, notas de pera, abacaxi, mel e damasco. Na boca surpeendente acidez mesmo com 7 anos de barrica e um final de boca longo e agradável. Muita estrutura pra um branco.
  Uma verdadeira obra prima este vinho.
  Pra harmonizar vai bem com bacalhau e até mesmo carne de porco. Tem estrutura pra isso sim.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Marques de Casa Concha Pinot Noir 2013. Nos chilenos, tenho preferido outras uvas a cabernet sauvignon.

     
   Vinho : Marques de Casa Concha
   Tipo : Tinto seco
   País : Chile
   Região: Vale do Limari
   Produdor : Vinícola Cocha y Toro
   Castas : 100% Pinot Noir
   Teor Alcoólico : 14,5%
   Onde Comprar : Brasil bebidas
   Preço : R$ 110,00

     Marques de Casa Concha pinot Noir 2013, cor vermelho rubi claro, lágrimas densas e abundantes. Aromas bem complexos, framboesa, morango, cereja, terra molhada, tostado e baunilha. Na boca elegantíssimo, taninos aveludados. Apesar do 14,5% de álcool nada se percebe. Final de boca surpreendetemente longo e com sabor de morango maduro. Adorei esse pinot chileno.
     Vinho com muita estrutura, corpo e sabor. Seria digamos assim, um vinho pra apresentar a um leigo que tá começando a interessar pelo mundo da enofilia. Foi unamidade na mesa, todos gostaram.
     Este vinho foi aberto pelo amigo Marcos Melo no seu aniversário e agradou a todos...

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Intipalka malbec - merlot Reserva 2012. No Peru tem vinho sim e dos bons...


  Vinho : Intipalpa Reserva
  Tipo : Tinto seco
  País : Peru
  Região : Valle de Ica
  Produtor : Bodega Santiago Queirolo
  Safra : 2012
  Castas : Malbec / Merlot
  Onde Comprar : Winelands
  Preço : R$137,00

    Este vinho eu trouxe do Peru quando fui em 2014 e depois de 3 anos de adega resolvi abrir.
    Cor vermelho rubi viláceo, abundante em lágrimas. Nos aromas apresenta notas de frutas negras (ameixa, mirtilo) e frutas vermelhas (cereja), café, pimenta e baunilha. Álcool bem equilibrado, taninos bem domados e uma bela acidez.
   Surpreendente esse vinho, confesso que não esperava tanto de um vinho peruano, maravilhoso. Pra harmonizar... Por que não um churrasco de picanha de pato?


 
 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Marqués de Tomares Crianza 2012. Uma tradição da Rioja.


    Vinho : Marqués de Tomares Crianza
    Tipo : Tinto Seco
    País : Espanha
    Região : Rioja
    Safra : 2012
    Produtor : Marqués de Tomares.
    Castas : 90% tempranillo, 7% Mazuelo, 3% graciano.
    Onde Comprar : Free Shopping Parque Recreio
    Preço : R$ 52,00 (promoção)

    Marqués de Tomares Crianza 2012, um vinho bem elaborado, de ótimo custo benefício que expressa todas as características de um bom Rioja.
     Cor vermelho violáceo, com lágrimas abundantes e lentas. No nariz percebemos frutas negras maduras, baunilha, café e uma ligeira tosta. Na boca bem equilibrado, álccol, tanino e acidez formam um belo triângulo equilátero. Final de boca longo e agradável, com muita ameixa no final.
    Pra hormonizar risoto de funghi ou mesmo um belo osso buco.
 

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Glen Carlou Gravel Quarry 2008. A África do Sul realmente aprendeu a fazer vinho.



     Vinho : Glen Carlou Gravel Quarry
     Tipo : Tinto Seco
     Pais : África do Sul
     Região : Paarl
     Casta : Cabernet Sauvignon
     Safra : 2008
     Produtor : Glen Carlou
     Onde Comprar : Decanter
     Preço : R$320,00

    Glen Carlou Cabernet Sauvignon 2008, como todo vinho que provei deste produtor é maravilhoso. Cor vermelho violáceo intenso, alo de evolução ainda pouco formado, lágrimas bem lentas, violáceas e em grande quantidade. No nariz franco, complexo, intenso, revela - se mirtilo, cassis, ameixa, couro, chocolate meio amargo e pimenta do reino. No ataque de boca mostra uma belíssima acidez, álcool bem equilibrado e taninos perfeitos... Sabe aquela sensação de passar a língua no veludo, é assim que percebo a sensação tânica deste vinho.
     Muito bem elaborado esse sulafricano, um espetáculo mesmo...
      Pra acompanhar indico uma picanha de pato (magret de canard)com purê de batata barôa.

     

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Quinta de Cidrô 2005. Apesar dos 12 anos, ainda muito vivo.



  Vinho : Quinta de Cidrô
  Tipo : Tinto Seco
  País : Portugal
  Região : Douro
  Produtor : Real Companhia Velha
  Safra : 2005
  Castas : Cabernet Sauvignon, Touriga Nacional
  Onde Comprar : Free Shopping Parque Recreio
  Preço : 77,00 (Na promoção)

       Quinta de Cidrô vermelho rubi intenso com alo de evolução e lágrimas abundantes. Nos aromas se mostra bem complexo e agradável. Notas de ameixa seca, uva passa, amora, cassis, couro, chocolate e baunilha. Em boca uma bela acidez, taninos domados e álcool equilibrado apesar dos 14,5%. Supreendente esse vinho, mesmo com 12 anos ainda muito vivo.
  Pra acompanhar escolheria uma bela paleta de cordeiro marinada por 24 horas no vinho tinto, assadinha no forno.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Casas Altas Riesling DOC Beira Interior 2013, um portuga com cara de alsaciano.



  Vinho : Casas Altas
  Tipo : Branco seco
  País : Portugal
  Região : Beira Interior
  Safra : 2013
  Castas : 100% Riesling
  Onde Comprar : Vinho Descomplicado
  Preço : 115,00

  Casas Altas Riesling 2013, me suprendeu positivamente esse vinho. Quando provei as cegas jurava que era um riesling francês da Alsácia. Tem uma acidez e uma mineridade só vista nos bons rieslings desta bela região do norte da França. Muito provavelmente devido as características do solo na região de Beira Interior semelhante aos da Alsácia, fez com que este branco lembrasse muito os rieslings alsacianos.
  Cor amarelo palha com toques esverdeados, no nariz muita mineralidade, frutas cítricas e os característicos aromas petrolados dos bons rieslings. Em boca muito frescor, mineralidade e acidez.
  Perfeito esse português, magnífico. Pra hormonizar indico, sushi, sashimi, frutos do mar sem muito condimento e um bom ceviche.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Avondale Reserva Syrah 2011, hoje vamos de África do Sul.



 Vinho : Avondale Reserva 2011
 Tipo : Tinto Seco
 País : África do Sul
 Região : Paarl
 Safra : 2011
 Produtor : Avondale Wines
 Casta : 100% Syrah
 Onde Comprar : Brasil Bebidas
 Preço : R$ 88,00

  A África do Sul é um grande produtor de vinhos, tem ótimos terrois, produz vinhos potentes e sobretudo muito elegantes. Os destaques vão para as regiões de Stellenbosh e Paar.
  Avondale Reserva 2011, é um vinho (apesar de eu não gostar muito dessa expressão) fácil de beber, que serve bem a leigos e entendidos.
  Cor vermelho violáceo intenso, lágrimas lentas. Aromas de ameixa, mirtilo, amora e baunilha. Em boca álcool bem equilibrado, taninos macios e acidez que pra meu gosto poderia ser um pouco mais intensa, mas não compromete. Muito bom esse vinho, eu indico.
  Pra acompanhar vai um filé ao funghi.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Quinta da Bacalhôa 2013, um clássico.



 Vinho : Quinta da Bacalhôa
 Tipo : Tinto Seco
 Safra : 2013
 Região : Penísula de Setubal
 Produtor : Quinta da Bacalhôa
 Casta : Cabernet Sauvignon e merlot
 Onde Comprar : Brasil Bebidas
 Preço : 220,00

 Quinta da Bacalhôa é um clássico vinho português muito bem elaborado com castas francesas e jamais me decepcionou.
 Cor vermelho púrpura com lágrimas em abundância. No nariz apresenta - se franco, com muita fruta vermelha, negra, cedro, tabaco e café. Na boca acidez na medida , taninos presentes e palatáveis com álcool bem equilibrado. Retrogosto longo e frutado. Um vinho em que acidez, álcool e tanino, nenhum deles se sobrepõe ao outro. Deve ter pelo menos oito anos pela frente pra atingir o apogeu.
 Pra hormonizar indico, uma picanha de pato.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Pisano Reserva 2010. Esse belíssimo vinho veio do Urugaia.



  Vinho : Pisano RPF Reserva Personal de Família
  Tipo : Tinto seco
  Safra : 2010
  Região : Progresso / Uruguai
  Produtor : Pisano Artesania en vinos finos
  Casta : 100 % Tannat
  Onde comprar : Mistral
  Preço : R$ 126,00

 A casta tannat é a melhor e mais cultivada no Uruguai. No Uruguai com essa uva, obtemos vinhos menos tânicos e mais palatáveis do que na sua região de origem Madiran.
 Pisano RPF Tannat 2010 tem cor vermelho violáceo intenso, lágrimas abundantes e lentas. Nos aromas muita fruta negra madura, chocolate meio amargo e café. Na boca ótima acidez, ameixa e chocolate meio amargo, final de boca longo.
 Bem interessante esse vinho, pra harmonizar sugiro uma carne vermelha mal passada (churasco).
 Esste vinho foi presente do amigo e somelier Renato Brasil.

Barda Pinot Noir 2012. Um vinhaço!!!


Vinho : Barda
Tipo : Tinto seco
Safra : 2012
Região : Rio Negro / Patagônia / Argentina
Produtor : Bodega Chacra
Casta : Pinot Noir 100%
Onde Comprar : Ravin
Preço : R$260,00

  Barda Pinot Noir 2012, cor vermelho rubi translúcido. Nos aromas se destacam violeta, cereja, morango, framboesa, terra molhada e cogumelo. Na verdade esse vinho é maravilhoso e complexo no nariz. Na boca, predominância de frutas vermelhas maduras com um longo final, taninos delicados e ótima acidez. Excepcional esse pinot noir da Patagônia...
  Sua maturação se deu por um ano em barricas francesa, sendo 75% de segundo uso e 25% novas.
  Um grande presente do amigo Eliezer Arrais que esteve por lá e lembrou do goles e dicas.
 Pra hormonizar eu fui de peru do natal e casou perfeitamente...


sexta-feira, 31 de julho de 2015

Demarie Barbaresco 2011




Vinho : Demarie Barbaresco D.O.C.G 
Tipo : Tinto seco
Safra : 2011
País : Itália
Região : Piemonte
Produtor : Vinícola Demarie
Casta : Nebiolo 100%
Preço : R $190,00 
Onde Comprar : eliane.gerzeli@gmail.com
55-(85)98741.4723
55 (85)99868.2098
Nota : 95 pts GD

Demarie Barbaresco D.OC.G 2011 no visual é rubi, límpido e cristalino. No nariz, flores, trufas e alcaçuz e canela. Na boca longevo, elegante, ótima acidez com taninos suaves, os dois anos em barricas e os quatro meses em garrafa contribuíram sobremaneira para transformá - lo em um Barbaresco de muita personalidade. Espetáculo de vinho! Pra acompanhar escolhi um Prime Rib do Restaurante Tango Casa de Parilla em Fortaleza.









segunda-feira, 13 de abril de 2015

Espumante pra champanhe nenhum botar defeito.




Vinho : Opera Brut
Tipo : Espumante Branco
País : Itália
Produtor : Azienda Agricola Le Marchesine
Castas : Chardonay, Pinot branco e Pinot nero
Graduação : 12,5%
Onde comprar : Varanda Delivery ( varanda.com.br )
Preço : R$ 103,50


     Vinho italiano espumante Opera Brut feito pelo método clássico com 25 meses de autólise, esse espumante é realmente surpreendente. Nos aromas pão torrado e brioche, na boca cremoso e elegante, não faz feio frente a nenhum bom champanhe, e digo mais, bate de longe muitos champanhes famosos que tem aí no mercado.
       Pra harmonizar sugiro ostra, camarão ao natural, mas eu fui de caranguejo do Iate Clube de Fortaleza. Realmente imperdível esse Opera Brut.

PS. Esse Opera Brut saiu da super adega do amigo Danilo Arruda, esse sabe das coisas.


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Tapada do Chaves Reserva 2009




Vinho : Tapada do Chaves Reserva
Tipo : Tinto seco
Safra : 2009
País : Portugal
Região : Alto Alentejo
Produtor : Tapada do Chaves
Castas : Trincadeira, aragonês e castelão.
Graduação :14%
Onde Comprar : Casa bebidas - www.casabebidas.com.br
Preço : R$ 140,00


                      Tapada do Chaves 2009 um vinho potente e elegante que amadurece 15 meses em barricas de carvalho e descansa mais 12 meses em garrafa antes de sair para o mercado. Nos aromas é bem complexo com notas herbáceas talvez por conta da trincadeira, frutas negras, café, pão torrado e pimenta. Na boca retrogosto longo com predomínio de café e chocolate meio amargo. Acidez ótima. No primeiro gole o álcool se sobressaiu mas nada que 25 minutos de decanter não o deixasse redondíssimo e agradável. Gostei bastante desse vinho, só conhecia de nome, mas nunca tinha provado. Esse eu aprovei e indico muito.
                      Pra harmonizar sugiro um rizoto de pato, prato típico português.

PS. Tive a oportunidade de degustar esse vinho com os amigos André Marinho e Ricardo Jaegger em uma bela tarde de degustação na casa Bebidas em Recife.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Um brasileiro com cara de francês.





Vinho : Velho do Museu
Tipo : Tinto seco
Safra : 2004
País : Brasil
Região : Serra gaúcha / Caxias do Sul
Produtor : Atelier Carrau Ltda
Castas : Cabernet Sauvignon / Merlot
Preço : R$ 98,00
Onde Comprar : www.juancarrau.com.br


            Vinho Velho do Museu 2004, um vinho nacional que me surpreendeu muito positivamente, às cegas muita gente confunde com um Bordeaux. Nos aromas bastante couro, tabaco, notas de estábulo. Na boca bela acidez com taninos firmes e agradáveis um retro gosto longo que lembra café e especiarias.Ótimo vinho, esse eu indico sem medo.
            Pra acompanhar esse belo caldo nacional aconselho pedir uma picanha de pato ou mesmo um filé ao funghi.

PS. Parabéns ao confrade e amigo Igor que levou esse ótimo vinho para a reunião da nossa querida ACAV (Associação Cearense dos Amantes do Vinho). Muito feliz na escolha...

segunda-feira, 21 de julho de 2014

A última uva tinta elegante descoberta na Espanha.





            Depois de dois meses ausente hoje volto a postar e como ainda não estou liberado (por motivo de cirurgia) para degustar bons caldos, é óbvio que a postagem de hoje vem recheada de dicas e sem nada de goles. Pensei sobre o que escreveria e decidi falar um pouco de uma uva chamada MENCIA, desconhecida para muitos, mas quando a vi pela primeira vez foi amor ao primeiro gole.

              Mencia uma uva encontrada no noroeste da Península Ibérica na denominada Espanha Verde,  região de Biezo. Biezo que politicamente pertence a Castilla y Leon, mas em termos geográficos, climáticos e vinícolas está mais ligada a Rias baixas. Esta uva quando bem manejada produz tintos de sabores complexos e cor profunda, com bom potencial para o envelhecimento. Seus rosados são aromáticos e frutados. Sem sombra de dúvida a mencia foi a última uva tinta elegante a ser descoberta na Espanha. Durante anos achou-se que a mencia seria clone da cabernet franc e em Portugal recebe o nome de jaen. Outras regiões que esta uva de destaca como varietal são, Ribeira Sacra e Vadeorras.
              Portanto quando vocês se depararem diante de um vinho de uva mencia pense em um tinto complexo, frutado com pontencial de guarda ou um rosado elegante, aromático e frutado. Essa é a dica de hoje.
             
               
            

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Amatus Dulce 2011



Vinho : Amatus Dulce
Tipo : Tinto Colheita tardia
Safra :2011
País :Espanha
Região : Jumilla
Produtor : Badegas Bleda
Casta : 85% Monastrel, 15% Shiraz
Graduação : 17%

                                  Estive presente à Expovinis 2014 e por lá andamos, provamos e pesquisamos centenas de vinhos nos três dias de feira. Procurei sempre ser honesto na avaliação e eleger os melhores na minha modesta opinião.  No último dia visitei  alguns produtores espanhóis dentre eles a Bodegas Bleda que nos ofereceu este excelente vinho de sobremesa.
                                  Amatus Dulce 2011 um vinho de sobremesa elaborado com uvas de colheita tardia, extremamente agradável. Apresenta-se com cor rubi, lágrimas bem abundante, grossas e lentas. Nos aromas se destacam frutas negras tipo ameixa, alcaçuz, tem um cheiro bem característico de caldo de cana de açúcar. Na boca uma bela acidez, taninos firmes que o torna bastante palatável e diferente de muitos vinhos de colheita tardia que provei. Realmente um espetáculo esse espanhol. Pra harmonizar indico, queijos curados de sabor forte, foie gras ou chocolate. Vai bem com um belo charuto também.

www.bodegasbleda.es

segunda-feira, 10 de março de 2014

Mascarello Dolcetto D'Alba 2010




Vinho : Mascarello Dolceto D"Alba
Tipo : Tinto seco
Safra : 2010
País : Ita'lia
Região : Piemonte
Produtor : Giuseppe Mascarello e Figlio
Castas : 100%  Dolceto D'Alba
Graduação : 13,5%
Onde comprar : Confraria Carioca
Preço : R$120,00


         A uva Dolcetto é a uva mais consumida do Piemonte e apesar de sua pouca acidez ao contrário do nome, produz vinhos secos de corpo médio bem frutados e aromáticos. Amadurece precocemente e suas cascas são ricas em antocianinas, portanto mesmo com períodos pequenos de fermentação (contato com a casca) não comprometem a bela cor rubi que proporciona aos vinhos das quais é protagonista. Na região de Ligúria recebe o nome de ormeasco e em toda a Itália contribui com 7400 hectares de uvas plantados. Os vinhos de uva Dolcetto não são vinhos de guarda, melhor bebe-los com dois, no máximo cinco anos de garrafa, isso se for um bom produtor, no resto, dois anos tá de bom tamanho, pois pelos poucos taninos a nossa dolcetto não produz vinhos longevos.
      Particularmente sou fã dessa uva, acho que esse caráter frutado, refrescante, leve, fácil de beber, combina muito bem com o clima quente de Fortaleza.

       Mascarello Dolcetto D'Alba 2010 tem a cor rubi cristalino com lágrimas rápida. Nos seus aromas percebemos, cereja, violeta, rosa vermelha e café. Na boca é bem elegante, com taninos leves mas que não deixam a desejar, final longo com retrogosto de cereja e morango. Um belíssimo vinho, harmonizamos com um belo nhoc gratinado, molho de tomate, ragu e parmesão  do Restaurante la Bella Itália. Outros pratos que vão bem com esse vinho são,carnes brancas, sopas e outras massas com molho branco inclusive.


PS. Existem sete denominações de origem da uva dolcetto, Alba, Asti, Dogliani, Ovada, etc... Alba é a que dá vinhos de melhor qualidade, portanto se for apostar numa dolcetto escolha a Dolcetto D'Alba, a possibilidade de errar é mínima.


   Confraria Carioca
R. Genaral Sevariano, 97 - Botafogo - rio de Janeiro - RJ
Casa & Gourmet Shopping
www.confrariacarioca.com.br
Fone : (21)2244-2286

   Restaurante La Bella Itália
Av. Almirante Barroso, 812 - Praia de Iracema - Fortaleza
Ceará - CEP:60060-440
Fone(85)3219-216
www.labellaitaliafortaleza.com.br

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

"Mas Amor" é o que desejo em 2014 a todos que acompanharam meu blog.




Vinho : Mas Amor
Tipo : Rosado seco
País : Espanha
Região : Priorato
Produtor : Huellas
Castas : 100% garnacha
Graduação : 12,5%
Onde comprar : Mistral
Preço : R$ 80,00


                               Os que me conhecem mais de perto sabem que sou fã dos vinhos rosés. Primeiro por serem vinhos refrescantes, fáceis de beber, segundo porque combinam muito bem com esse clima litorâneo do meu Ceará e terceiro porque harmoniza perfeitamente com a culinária Alencarina.
                                Mas amor é um vinho que achei bem interessante pelo nome, pelo rótulo, um rótulo bem diferente e por último e mais importante pelas qualidades do vinho.
                               Estamos diante de um vinho límpido cristalino, com cor de casca de cebola (típico dos grandes rosados), seus aromas nos remetem a framboesa, cereja e morango. Na boca um grande frescor, acidez bem interessante, com um belo final de boca que lembra frutas vermelhas maduras.
                                Harmonizamos esse ótimo espanhol rosado com uma cataplana de mariscos do Restaurante Sah, aqui em Fortaleza, especialidade da casa que o Chefe Marcos Gil faz como ninguém.


                              " Mas amor..." Desejo e espero que todos tenham em 2014...  Um grande abraço a todos que acompanharam meu blog em 2013, e fiquem certo de uma coisa... Escrevo sobre vinhos com muito amor.
"Mas amor"para todos!!!!! Feliz 2014!!!!

PS. Restaurante Sah
Av. Barão de Studart 1043 Meireles
Fone : 3224-9618

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Ossian 2010, um branco espanhol com jeito de Borgonha.



Vinho : Ossian
Tipo : Branco seco
Safra : 2010
País : Espanha
Região : Castilla y Leon
Produtor : Bodega Ossian Vides y Vino
Casta : Verdejo 100%
Graduação : 13,5%
Onde comprar : Península Imp. e Exp. Ltda
Preço : R$ 150,00 (Promoção)

                         Ossian 2010, um vinho feito com uvas verdejo bem maduras cultivadas ecologicamente,  fermentado em carvalho e criado em barricas francesas por nove meses. No visual apresenta-se com cor amarelo ouro bem cristalino, límpido com bastante lágrimas. Seus aromas nos mostram abacaxi, maçãs vermelhas, mel e damasco. Na boca é bem potente, com acidez presente, retrogosto longo com gosto de frutas brancas em compotas. Um vinho branco encorpado, que no paladar lembra vinho tinto.
                          Realmente um dos melhores brancos espanhóis que já provei. Pra harmonizar escolhemos a salada tropical do Restaurante La France em Fortaleza. A salada leva folhas verdes, camarão, abacaxi, laranja e manga, coberta com uma calda de manteiga do próprio molho do camarão. Ficou perfeito a harmonização.



PS. Restaurante la France
       Rua Siva Jatahí, 982 Meireles, Fortaleza, 60165-070
       (85) 3242-5095

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

As lágrimas do vinho. O vinho chora?


                                                             As lágrimas do vinho.

                     Resolvi fazer essa postagem porque esse assunto sempre me intrigou e das explicações que já li essa que vou passar pra vocês é a mais convincente e verdadeira.
                     Quando olhamos uma taça de vinho, quer seja tinto ou branco, a qual acabamos de fazer movimentos circulares, chamam a atenção os filetes que escorrem pela taça. Notamos que uma película líquida quase viscosa sobe pela parede do copo, acima da superfície do vinho, e começa a formar gotas que vão escorrendo por gravidade aleatoriamente ao longo de toda a taça. Esses filetes são denominados LÁGRIMAS, pernas, são o que o inglês chama de wine legs (pernas do vinho). Existem também outros codinomes como, arcos, abóbadas ou arcadas.

                     

                       As lágrimas se devem a um fenômeno chamado de Efeito  Marangoni, muito bem explicado por James Thompson em 1851. Essa fenômeno se deve simplesmente pelo fato do álcool ser mais volátil do que a água, sobre a superfície superior do copo molhado pelo vinho forma-se uma sutil camada de líquido mais aquoso, portanto de tensão superficial maior. Por capilaridade o líquido sobe pela parede do copo, e a elevação da tensão superficial tende a formas gotas. Essas gotas ao caírem desenham filetes que, com ajuda da imaginação, lembram perfeitamente lágrimas. Como estamos diante da diferença de tensão superficial entre a água e o álcool, quando mais alcoólico for o vinho, mais abundante são as lágrimas.
                        Essa é uma explicação centenária, correta e única, portanto esse papo de que as lágrimas são a potência dos ésteres vínicos ou a glicerina do vinho, é tudo lorota e não tem fundamento científico nenhum. Caros leitores esqueçam essa história de que as lágrimas são a gordura ou a glicerina do vinho, isso não existe.
                       Existe um ditado português que diz..." Se o vinho não chora, choro eu." Será mesmo uma verdade isso? Os vinhos chorões tem mais qualidade? Na minha humilde opinião essa afirmação só é válida para os indivíduos que gostam mais de vinho bem encorpados e alcoólicos. Saúde!!!


             Fotos : Google imagens
             Fonte de pesquisa : O Gosto do Vinho / Émile Peynaud e Jacques Blouin          
                       
       

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Domingo Molina malbec 2010



Vinho : Domingo Molina
Tipo: Tinto seco
Safra : 2010
País : Argentina
Região : Yacochuya,Vale do Cafayate, Salta.
Produtor : Bodega Domingo Molina
Graduação : 14%
Casta : 100% Malbec
Onde comprar : Adega Curitibana - www. adegacuritibana.com.br
Preço : R$ 60,00

                       Domingo Molina malbec, pode ser chamado um vinho de altitude, pois suas vinhas são plantadas a uma altura de 2.000 metros em solo arenoso e pedregoso. Temos 30% do vinho repousando em barricas de carvalho francês de primeiro e segundo uso por oito meses. Como vimos seu contato com madeira é bem sutil, isso permite que o vinho exprima bem as características da casta.
                       No visual um rubi escuro quase roxo, com halo violáceo, nota-se muitas lágrimas descendo lentamente pela taça. Seu aromas são complexos, vai desde frutas vermelhas e negras maduras (morango, ameixa) e também notas herbáceas, até carne assada, tabaco e couro. Na boca muito macio, potente e elegante. Taninos bem presentes e bem agradáveis, acidez ótima e álcool bem integrado no contexto. Um retrogosto que lembra chocolate e café.
                        Realmente um vinho surpreendente, agradou muito. Pra harmonizar sugiro uma codorna ao forno no molho de vinho tinto com uma farofinha. afinal cearense é louco por uma farofa (veja foto).

PS. Essa codorna foi feita e servida pelo amigo de confraria Alberto Huet, estava maravilhosa. Parabéns Huet pelo excelente bom gosto.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Mouchão 2006





Vinho : Mouchão
Safra : 2006
Tipo : Tinto seco
País : Portugal
Região : Alentejo
Produtor : Herdadde do Mouchão
Casta : Alicante Bouschet e Trincadeira
Graduação : 14,5%

                       No Alentejo o clima é terrível, frio cortante no inverno e um calor tórrido no verão. Condiçoes que conspiram contra a vinha e que é de fundamental importância a interferência do homem quer nos cuidados com a vinha (irrigação), quer no uso de técnicas de controle de temperatura na elaboração do vinho propriamente dito.
                       É no Alentejo que a uva francesa Alicante Bouschet participa em grandes proporções dos melhores e mais tardicionais tintos da região e tem no terroir da Herdade do Mouchão seu grande aliado.
                       Mouchão 2006 um vinho de cor vermelho graná, com halo terracota, lágrimas em grande quantidades (ainda novo no visual). Nos aromas se destacam, cereja, ameixa, aniz, cassis, couro e café. Como vimos é realmente uma explosão de aromas, bem interessante esse Mouchão. Na boca, é muito equilibrado e elegante. Mesmo com seus 14,5% de álcool, pouco se nota a sua potência alcoólica. Acidez e tanino muito agradáveis, um retrogosto longo que lembra muito chocolate e café. Realmente um vinho diferente e especial, esse eu aprovei e indico.



                      Pra acompanhar escolhemos uma brusqueta de presunto de parma e mussarela de búfala de entrada e como prato principal um linguine a carbonara. A gordura do bacon combinou bem com a potência desse alentejano. Tudo isso no restaurante italiano La Bella Itália em Fortaleza. Pra mim o melhor italiano de Fortaleza disparado.



 Restaurante La Bella Itália
Av. Almirante Barroso, 812 Praia de Iracema, Fortaleza-CE
CEP. 60060-440
(85) 3219-2166

PS. O Mouchão estagia 24 meses em toneis de 5.000 litros de carvalho português, macauba e mogno e depois mais 24 a 36 meses em garrafa.