quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Marqués de Tomares Crianza 2012. Uma tradição da Rioja.


    Vinho : Marqués de Tomares Crianza
    Tipo : Tinto Seco
    País : Espanha
    Região : Rioja
    Safra : 2012
    Produtor : Marqués de Tomares.
    Castas : 90% tempranillo, 7% Mazuelo, 3% graciano.
    Onde Comprar : Free Shopping Parque Recreio
    Preço : R$ 52,00 (promoção)

    Marqués de Tomares Crianza 2012, um vinho bem elaborado, de ótimo custo benefício que expressa todas as características de um bom Rioja.
     Cor vermelho violáceo, com lágrimas abundantes e lentas. No nariz percebemos frutas negras maduras, baunilha, café e uma ligeira tosta. Na boca bem equilibrado, álccol, tanino e acidez formam um belo triângulo equilátero. Final de boca longo e agradável, com muita ameixa no final.
    Pra hormonizar risoto de funghi ou mesmo um belo osso buco.
 

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Glen Carlou Gravel Quarry 2008. A África do Sul realmente aprendeu a fazer vinho.



     Vinho : Glen Carlou Gravel Quarry
     Tipo : Tinto Seco
     Pais : África do Sul
     Região : Paarl
     Casta : Cabernet Sauvignon
     Safra : 2008
     Produtor : Glen Carlou
     Onde Comprar : Decanter
     Preço : R$320,00

    Glen Carlou Cabernet Sauvignon 2008, como todo vinho que provei deste produtor é maravilhoso. Cor vermelho violáceo intenso, alo de evolução ainda pouco formado, lágrimas bem lentas, violáceas e em grande quantidade. No nariz franco, complexo, intenso, revela - se mirtilo, cassis, ameixa, couro, chocolate meio amargo e pimenta do reino. No ataque de boca mostra uma belíssima acidez, álcool bem equilibrado e taninos perfeitos... Sabe aquela sensação de passar a língua no veludo, é assim que percebo a sensação tânica deste vinho.
     Muito bem elaborado esse sulafricano, um espetáculo mesmo...
      Pra acompanhar indico uma picanha de pato (magret de canard)com purê de batata barôa.

     

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Quinta de Cidrô 2005. Apesar dos 12 anos, ainda muito vivo.



  Vinho : Quinta de Cidrô
  Tipo : Tinto Seco
  País : Portugal
  Região : Douro
  Produtor : Real Companhia Velha
  Safra : 2005
  Castas : Cabernet Sauvignon, Touriga Nacional
  Onde Comprar : Free Shopping Parque Recreio
  Preço : 77,00 (Na promoção)

       Quinta de Cidrô vermelho rubi intenso com alo de evolução e lágrimas abundantes. Nos aromas se mostra bem complexo e agradável. Notas de ameixa seca, uva passa, amora, cassis, couro, chocolate e baunilha. Em boca uma bela acidez, taninos domados e álcool equilibrado apesar dos 14,5%. Supreendente esse vinho, mesmo com 12 anos ainda muito vivo.
  Pra acompanhar escolheria uma bela paleta de cordeiro marinada por 24 horas no vinho tinto, assadinha no forno.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Casas Altas Riesling DOC Beira Interior 2013, um portuga com cara de alsaciano.



  Vinho : Casas Altas
  Tipo : Branco seco
  País : Portugal
  Região : Beira Interior
  Safra : 2013
  Castas : 100% Riesling
  Onde Comprar : Vinho Descomplicado
  Preço : 115,00

  Casas Altas Riesling 2013, me suprendeu positivamente esse vinho. Quando provei as cegas jurava que era um riesling francês da Alsácia. Tem uma acidez e uma mineridade só vista nos bons rieslings desta bela região do norte da França. Muito provavelmente devido as características do solo na região de Beira Interior semelhante aos da Alsácia, fez com que este branco lembrasse muito os rieslings alsacianos.
  Cor amarelo palha com toques esverdeados, no nariz muita mineralidade, frutas cítricas e os característicos aromas petrolados dos bons rieslings. Em boca muito frescor, mineralidade e acidez.
  Perfeito esse português, magnífico. Pra hormonizar indico, sushi, sashimi, frutos do mar sem muito condimento e um bom ceviche.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Avondale Reserva Syrah 2011, hoje vamos de África do Sul.



 Vinho : Avondale Reserva 2011
 Tipo : Tinto Seco
 País : África do Sul
 Região : Paarl
 Safra : 2011
 Produtor : Avondale Wines
 Casta : 100% Syrah
 Onde Comprar : Brasil Bebidas
 Preço : R$ 88,00

  A África do Sul é um grande produtor de vinhos, tem ótimos terrois, produz vinhos potentes e sobretudo muito elegantes. Os destaques vão para as regiões de Stellenbosh e Paar.
  Avondale Reserva 2011, é um vinho (apesar de eu não gostar muito dessa expressão) fácil de beber, que serve bem a leigos e entendidos.
  Cor vermelho violáceo intenso, lágrimas lentas. Aromas de ameixa, mirtilo, amora e baunilha. Em boca álcool bem equilibrado, taninos macios e acidez que pra meu gosto poderia ser um pouco mais intensa, mas não compromete. Muito bom esse vinho, eu indico.
  Pra acompanhar vai um filé ao funghi.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Quinta da Bacalhôa 2013, um clássico.



 Vinho : Quinta da Bacalhôa
 Tipo : Tinto Seco
 Safra : 2013
 Região : Penísula de Setubal
 Produtor : Quinta da Bacalhôa
 Casta : Cabernet Sauvignon e merlot
 Onde Comprar : Brasil Bebidas
 Preço : 220,00

 Quinta da Bacalhôa é um clássico vinho português muito bem elaborado com castas francesas e jamais me decepcionou.
 Cor vermelho púrpura com lágrimas em abundância. No nariz apresenta - se franco, com muita fruta vermelha, negra, cedro, tabaco e café. Na boca acidez na medida , taninos presentes e palatáveis com álcool bem equilibrado. Retrogosto longo e frutado. Um vinho em que acidez, álcool e tanino, nenhum deles se sobrepõe ao outro. Deve ter pelo menos oito anos pela frente pra atingir o apogeu.
 Pra hormonizar indico, uma picanha de pato.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Pisano Reserva 2010. Esse belíssimo vinho veio do Urugaia.



  Vinho : Pisano RPF Reserva Personal de Família
  Tipo : Tinto seco
  Safra : 2010
  Região : Progresso / Uruguai
  Produtor : Pisano Artesania en vinos finos
  Casta : 100 % Tannat
  Onde comprar : Mistral
  Preço : R$ 126,00

 A casta tannat é a melhor e mais cultivada no Uruguai. No Uruguai com essa uva, obtemos vinhos menos tânicos e mais palatáveis do que na sua região de origem Madiran.
 Pisano RPF Tannat 2010 tem cor vermelho violáceo intenso, lágrimas abundantes e lentas. Nos aromas muita fruta negra madura, chocolate meio amargo e café. Na boca ótima acidez, ameixa e chocolate meio amargo, final de boca longo.
 Bem interessante esse vinho, pra harmonizar sugiro uma carne vermelha mal passada (churasco).
 Esste vinho foi presente do amigo e somelier Renato Brasil.

Barda Pinot Noir 2012. Um vinhaço!!!


Vinho : Barda
Tipo : Tinto seco
Safra : 2012
Região : Rio Negro / Patagônia / Argentina
Produtor : Bodega Chacra
Casta : Pinot Noir 100%
Onde Comprar : Ravin
Preço : R$260,00

  Barda Pinot Noir 2012, cor vermelho rubi translúcido. Nos aromas se destacam violeta, cereja, morango, framboesa, terra molhada e cogumelo. Na verdade esse vinho é maravilhoso e complexo no nariz. Na boca, predominância de frutas vermelhas maduras com um longo final, taninos delicados e ótima acidez. Excepcional esse pinot noir da Patagônia...
  Sua maturação se deu por um ano em barricas francesa, sendo 75% de segundo uso e 25% novas.
  Um grande presente do amigo Eliezer Arrais que esteve por lá e lembrou do goles e dicas.
 Pra hormonizar eu fui de peru do natal e casou perfeitamente...


sexta-feira, 31 de julho de 2015

Demarie Barbaresco 2011




Vinho : Demarie Barbaresco D.O.C.G 
Tipo : Tinto seco
Safra : 2011
País : Itália
Região : Piemonte
Produtor : Vinícola Demarie
Casta : Nebiolo 100%
Preço : R $190,00 
Onde Comprar : eliane.gerzeli@gmail.com
55-(85)98741.4723
55 (85)99868.2098
Nota : 95 pts GD

Demarie Barbaresco D.OC.G 2011 no visual é rubi, límpido e cristalino. No nariz, flores, trufas e alcaçuz e canela. Na boca longevo, elegante, ótima acidez com taninos suaves, os dois anos em barricas e os quatro meses em garrafa contribuíram sobremaneira para transformá - lo em um Barbaresco de muita personalidade. Espetáculo de vinho! Pra acompanhar escolhi um Prime Rib do Restaurante Tango Casa de Parilla em Fortaleza.









segunda-feira, 13 de abril de 2015

Espumante pra champanhe nenhum botar defeito.




Vinho : Opera Brut
Tipo : Espumante Branco
País : Itália
Produtor : Azienda Agricola Le Marchesine
Castas : Chardonay, Pinot branco e Pinot nero
Graduação : 12,5%
Onde comprar : Varanda Delivery ( varanda.com.br )
Preço : R$ 103,50


     Vinho italiano espumante Opera Brut feito pelo método clássico com 25 meses de autólise, esse espumante é realmente surpreendente. Nos aromas pão torrado e brioche, na boca cremoso e elegante, não faz feio frente a nenhum bom champanhe, e digo mais, bate de longe muitos champanhes famosos que tem aí no mercado.
       Pra harmonizar sugiro ostra, camarão ao natural, mas eu fui de caranguejo do Iate Clube de Fortaleza. Realmente imperdível esse Opera Brut.

PS. Esse Opera Brut saiu da super adega do amigo Danilo Arruda, esse sabe das coisas.


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Tapada do Chaves Reserva 2009




Vinho : Tapada do Chaves Reserva
Tipo : Tinto seco
Safra : 2009
País : Portugal
Região : Alto Alentejo
Produtor : Tapada do Chaves
Castas : Trincadeira, aragonês e castelão.
Graduação :14%
Onde Comprar : Casa bebidas - www.casabebidas.com.br
Preço : R$ 140,00


                      Tapada do Chaves 2009 um vinho potente e elegante que amadurece 15 meses em barricas de carvalho e descansa mais 12 meses em garrafa antes de sair para o mercado. Nos aromas é bem complexo com notas herbáceas talvez por conta da trincadeira, frutas negras, café, pão torrado e pimenta. Na boca retrogosto longo com predomínio de café e chocolate meio amargo. Acidez ótima. No primeiro gole o álcool se sobressaiu mas nada que 25 minutos de decanter não o deixasse redondíssimo e agradável. Gostei bastante desse vinho, só conhecia de nome, mas nunca tinha provado. Esse eu aprovei e indico muito.
                      Pra harmonizar sugiro um rizoto de pato, prato típico português.

PS. Tive a oportunidade de degustar esse vinho com os amigos André Marinho e Ricardo Jaegger em uma bela tarde de degustação na casa Bebidas em Recife.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Um brasileiro com cara de francês.





Vinho : Velho do Museu
Tipo : Tinto seco
Safra : 2004
País : Brasil
Região : Serra gaúcha / Caxias do Sul
Produtor : Atelier Carrau Ltda
Castas : Cabernet Sauvignon / Merlot
Preço : R$ 98,00
Onde Comprar : www.juancarrau.com.br


            Vinho Velho do Museu 2004, um vinho nacional que me surpreendeu muito positivamente, às cegas muita gente confunde com um Bordeaux. Nos aromas bastante couro, tabaco, notas de estábulo. Na boca bela acidez com taninos firmes e agradáveis um retro gosto longo que lembra café e especiarias.Ótimo vinho, esse eu indico sem medo.
            Pra acompanhar esse belo caldo nacional aconselho pedir uma picanha de pato ou mesmo um filé ao funghi.

PS. Parabéns ao confrade e amigo Igor que levou esse ótimo vinho para a reunião da nossa querida ACAV (Associação Cearense dos Amantes do Vinho). Muito feliz na escolha...

segunda-feira, 21 de julho de 2014

A última uva tinta elegante descoberta na Espanha.





            Depois de dois meses ausente hoje volto a postar e como ainda não estou liberado (por motivo de cirurgia) para degustar bons caldos, é óbvio que a postagem de hoje vem recheada de dicas e sem nada de goles. Pensei sobre o que escreveria e decidi falar um pouco de uma uva chamada MENCIA, desconhecida para muitos, mas quando a vi pela primeira vez foi amor ao primeiro gole.

              Mencia uma uva encontrada no noroeste da Península Ibérica na denominada Espanha Verde,  região de Biezo. Biezo que politicamente pertence a Castilla y Leon, mas em termos geográficos, climáticos e vinícolas está mais ligada a Rias baixas. Esta uva quando bem manejada produz tintos de sabores complexos e cor profunda, com bom potencial para o envelhecimento. Seus rosados são aromáticos e frutados. Sem sombra de dúvida a mencia foi a última uva tinta elegante a ser descoberta na Espanha. Durante anos achou-se que a mencia seria clone da cabernet franc e em Portugal recebe o nome de jaen. Outras regiões que esta uva de destaca como varietal são, Ribeira Sacra e Vadeorras.
              Portanto quando vocês se depararem diante de um vinho de uva mencia pense em um tinto complexo, frutado com pontencial de guarda ou um rosado elegante, aromático e frutado. Essa é a dica de hoje.
             
               
            

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Amatus Dulce 2011



Vinho : Amatus Dulce
Tipo : Tinto Colheita tardia
Safra :2011
País :Espanha
Região : Jumilla
Produtor : Badegas Bleda
Casta : 85% Monastrel, 15% Shiraz
Graduação : 17%

                                  Estive presente à Expovinis 2014 e por lá andamos, provamos e pesquisamos centenas de vinhos nos três dias de feira. Procurei sempre ser honesto na avaliação e eleger os melhores na minha modesta opinião.  No último dia visitei  alguns produtores espanhóis dentre eles a Bodegas Bleda que nos ofereceu este excelente vinho de sobremesa.
                                  Amatus Dulce 2011 um vinho de sobremesa elaborado com uvas de colheita tardia, extremamente agradável. Apresenta-se com cor rubi, lágrimas bem abundante, grossas e lentas. Nos aromas se destacam frutas negras tipo ameixa, alcaçuz, tem um cheiro bem característico de caldo de cana de açúcar. Na boca uma bela acidez, taninos firmes que o torna bastante palatável e diferente de muitos vinhos de colheita tardia que provei. Realmente um espetáculo esse espanhol. Pra harmonizar indico, queijos curados de sabor forte, foie gras ou chocolate. Vai bem com um belo charuto também.

www.bodegasbleda.es

segunda-feira, 10 de março de 2014

Mascarello Dolcetto D'Alba 2010




Vinho : Mascarello Dolceto D"Alba
Tipo : Tinto seco
Safra : 2010
País : Ita'lia
Região : Piemonte
Produtor : Giuseppe Mascarello e Figlio
Castas : 100%  Dolceto D'Alba
Graduação : 13,5%
Onde comprar : Confraria Carioca
Preço : R$120,00


         A uva Dolcetto é a uva mais consumida do Piemonte e apesar de sua pouca acidez ao contrário do nome, produz vinhos secos de corpo médio bem frutados e aromáticos. Amadurece precocemente e suas cascas são ricas em antocianinas, portanto mesmo com períodos pequenos de fermentação (contato com a casca) não comprometem a bela cor rubi que proporciona aos vinhos das quais é protagonista. Na região de Ligúria recebe o nome de ormeasco e em toda a Itália contribui com 7400 hectares de uvas plantados. Os vinhos de uva Dolcetto não são vinhos de guarda, melhor bebe-los com dois, no máximo cinco anos de garrafa, isso se for um bom produtor, no resto, dois anos tá de bom tamanho, pois pelos poucos taninos a nossa dolcetto não produz vinhos longevos.
      Particularmente sou fã dessa uva, acho que esse caráter frutado, refrescante, leve, fácil de beber, combina muito bem com o clima quente de Fortaleza.

       Mascarello Dolcetto D'Alba 2010 tem a cor rubi cristalino com lágrimas rápida. Nos seus aromas percebemos, cereja, violeta, rosa vermelha e café. Na boca é bem elegante, com taninos leves mas que não deixam a desejar, final longo com retrogosto de cereja e morango. Um belíssimo vinho, harmonizamos com um belo nhoc gratinado, molho de tomate, ragu e parmesão  do Restaurante la Bella Itália. Outros pratos que vão bem com esse vinho são,carnes brancas, sopas e outras massas com molho branco inclusive.


PS. Existem sete denominações de origem da uva dolcetto, Alba, Asti, Dogliani, Ovada, etc... Alba é a que dá vinhos de melhor qualidade, portanto se for apostar numa dolcetto escolha a Dolcetto D'Alba, a possibilidade de errar é mínima.


   Confraria Carioca
R. Genaral Sevariano, 97 - Botafogo - rio de Janeiro - RJ
Casa & Gourmet Shopping
www.confrariacarioca.com.br
Fone : (21)2244-2286

   Restaurante La Bella Itália
Av. Almirante Barroso, 812 - Praia de Iracema - Fortaleza
Ceará - CEP:60060-440
Fone(85)3219-216
www.labellaitaliafortaleza.com.br

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

"Mas Amor" é o que desejo em 2014 a todos que acompanharam meu blog.




Vinho : Mas Amor
Tipo : Rosado seco
País : Espanha
Região : Priorato
Produtor : Huellas
Castas : 100% garnacha
Graduação : 12,5%
Onde comprar : Mistral
Preço : R$ 80,00


                               Os que me conhecem mais de perto sabem que sou fã dos vinhos rosés. Primeiro por serem vinhos refrescantes, fáceis de beber, segundo porque combinam muito bem com esse clima litorâneo do meu Ceará e terceiro porque harmoniza perfeitamente com a culinária Alencarina.
                                Mas amor é um vinho que achei bem interessante pelo nome, pelo rótulo, um rótulo bem diferente e por último e mais importante pelas qualidades do vinho.
                               Estamos diante de um vinho límpido cristalino, com cor de casca de cebola (típico dos grandes rosados), seus aromas nos remetem a framboesa, cereja e morango. Na boca um grande frescor, acidez bem interessante, com um belo final de boca que lembra frutas vermelhas maduras.
                                Harmonizamos esse ótimo espanhol rosado com uma cataplana de mariscos do Restaurante Sah, aqui em Fortaleza, especialidade da casa que o Chefe Marcos Gil faz como ninguém.


                              " Mas amor..." Desejo e espero que todos tenham em 2014...  Um grande abraço a todos que acompanharam meu blog em 2013, e fiquem certo de uma coisa... Escrevo sobre vinhos com muito amor.
"Mas amor"para todos!!!!! Feliz 2014!!!!

PS. Restaurante Sah
Av. Barão de Studart 1043 Meireles
Fone : 3224-9618

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Ossian 2010, um branco espanhol com jeito de Borgonha.



Vinho : Ossian
Tipo : Branco seco
Safra : 2010
País : Espanha
Região : Castilla y Leon
Produtor : Bodega Ossian Vides y Vino
Casta : Verdejo 100%
Graduação : 13,5%
Onde comprar : Península Imp. e Exp. Ltda
Preço : R$ 150,00 (Promoção)

                         Ossian 2010, um vinho feito com uvas verdejo bem maduras cultivadas ecologicamente,  fermentado em carvalho e criado em barricas francesas por nove meses. No visual apresenta-se com cor amarelo ouro bem cristalino, límpido com bastante lágrimas. Seus aromas nos mostram abacaxi, maçãs vermelhas, mel e damasco. Na boca é bem potente, com acidez presente, retrogosto longo com gosto de frutas brancas em compotas. Um vinho branco encorpado, que no paladar lembra vinho tinto.
                          Realmente um dos melhores brancos espanhóis que já provei. Pra harmonizar escolhemos a salada tropical do Restaurante La France em Fortaleza. A salada leva folhas verdes, camarão, abacaxi, laranja e manga, coberta com uma calda de manteiga do próprio molho do camarão. Ficou perfeito a harmonização.



PS. Restaurante la France
       Rua Siva Jatahí, 982 Meireles, Fortaleza, 60165-070
       (85) 3242-5095

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

As lágrimas do vinho. O vinho chora?


                                                             As lágrimas do vinho.

                     Resolvi fazer essa postagem porque esse assunto sempre me intrigou e das explicações que já li essa que vou passar pra vocês é a mais convincente e verdadeira.
                     Quando olhamos uma taça de vinho, quer seja tinto ou branco, a qual acabamos de fazer movimentos circulares, chamam a atenção os filetes que escorrem pela taça. Notamos que uma película líquida quase viscosa sobe pela parede do copo, acima da superfície do vinho, e começa a formar gotas que vão escorrendo por gravidade aleatoriamente ao longo de toda a taça. Esses filetes são denominados LÁGRIMAS, pernas, são o que o inglês chama de wine legs (pernas do vinho). Existem também outros codinomes como, arcos, abóbadas ou arcadas.

                     

                       As lágrimas se devem a um fenômeno chamado de Efeito  Marangoni, muito bem explicado por James Thompson em 1851. Essa fenômeno se deve simplesmente pelo fato do álcool ser mais volátil do que a água, sobre a superfície superior do copo molhado pelo vinho forma-se uma sutil camada de líquido mais aquoso, portanto de tensão superficial maior. Por capilaridade o líquido sobe pela parede do copo, e a elevação da tensão superficial tende a formas gotas. Essas gotas ao caírem desenham filetes que, com ajuda da imaginação, lembram perfeitamente lágrimas. Como estamos diante da diferença de tensão superficial entre a água e o álcool, quando mais alcoólico for o vinho, mais abundante são as lágrimas.
                        Essa é uma explicação centenária, correta e única, portanto esse papo de que as lágrimas são a potência dos ésteres vínicos ou a glicerina do vinho, é tudo lorota e não tem fundamento científico nenhum. Caros leitores esqueçam essa história de que as lágrimas são a gordura ou a glicerina do vinho, isso não existe.
                       Existe um ditado português que diz..." Se o vinho não chora, choro eu." Será mesmo uma verdade isso? Os vinhos chorões tem mais qualidade? Na minha humilde opinião essa afirmação só é válida para os indivíduos que gostam mais de vinho bem encorpados e alcoólicos. Saúde!!!


             Fotos : Google imagens
             Fonte de pesquisa : O Gosto do Vinho / Émile Peynaud e Jacques Blouin          
                       
       

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Domingo Molina malbec 2010



Vinho : Domingo Molina
Tipo: Tinto seco
Safra : 2010
País : Argentina
Região : Yacochuya,Vale do Cafayate, Salta.
Produtor : Bodega Domingo Molina
Graduação : 14%
Casta : 100% Malbec
Onde comprar : Adega Curitibana - www. adegacuritibana.com.br
Preço : R$ 60,00

                       Domingo Molina malbec, pode ser chamado um vinho de altitude, pois suas vinhas são plantadas a uma altura de 2.000 metros em solo arenoso e pedregoso. Temos 30% do vinho repousando em barricas de carvalho francês de primeiro e segundo uso por oito meses. Como vimos seu contato com madeira é bem sutil, isso permite que o vinho exprima bem as características da casta.
                       No visual um rubi escuro quase roxo, com halo violáceo, nota-se muitas lágrimas descendo lentamente pela taça. Seu aromas são complexos, vai desde frutas vermelhas e negras maduras (morango, ameixa) e também notas herbáceas, até carne assada, tabaco e couro. Na boca muito macio, potente e elegante. Taninos bem presentes e bem agradáveis, acidez ótima e álcool bem integrado no contexto. Um retrogosto que lembra chocolate e café.
                        Realmente um vinho surpreendente, agradou muito. Pra harmonizar sugiro uma codorna ao forno no molho de vinho tinto com uma farofinha. afinal cearense é louco por uma farofa (veja foto).

PS. Essa codorna foi feita e servida pelo amigo de confraria Alberto Huet, estava maravilhosa. Parabéns Huet pelo excelente bom gosto.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Mouchão 2006





Vinho : Mouchão
Safra : 2006
Tipo : Tinto seco
País : Portugal
Região : Alentejo
Produtor : Herdadde do Mouchão
Casta : Alicante Bouschet e Trincadeira
Graduação : 14,5%

                       No Alentejo o clima é terrível, frio cortante no inverno e um calor tórrido no verão. Condiçoes que conspiram contra a vinha e que é de fundamental importância a interferência do homem quer nos cuidados com a vinha (irrigação), quer no uso de técnicas de controle de temperatura na elaboração do vinho propriamente dito.
                       É no Alentejo que a uva francesa Alicante Bouschet participa em grandes proporções dos melhores e mais tardicionais tintos da região e tem no terroir da Herdade do Mouchão seu grande aliado.
                       Mouchão 2006 um vinho de cor vermelho graná, com halo terracota, lágrimas em grande quantidades (ainda novo no visual). Nos aromas se destacam, cereja, ameixa, aniz, cassis, couro e café. Como vimos é realmente uma explosão de aromas, bem interessante esse Mouchão. Na boca, é muito equilibrado e elegante. Mesmo com seus 14,5% de álcool, pouco se nota a sua potência alcoólica. Acidez e tanino muito agradáveis, um retrogosto longo que lembra muito chocolate e café. Realmente um vinho diferente e especial, esse eu aprovei e indico.



                      Pra acompanhar escolhemos uma brusqueta de presunto de parma e mussarela de búfala de entrada e como prato principal um linguine a carbonara. A gordura do bacon combinou bem com a potência desse alentejano. Tudo isso no restaurante italiano La Bella Itália em Fortaleza. Pra mim o melhor italiano de Fortaleza disparado.



 Restaurante La Bella Itália
Av. Almirante Barroso, 812 Praia de Iracema, Fortaleza-CE
CEP. 60060-440
(85) 3219-2166

PS. O Mouchão estagia 24 meses em toneis de 5.000 litros de carvalho português, macauba e mogno e depois mais 24 a 36 meses em garrafa.
                       

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Gravas del Maipo 2007. Um vinho de confraria




Vinho : Gravas del Maipo
Tipo : Tinto seco

Safra : 2007
País : Chile
Região : Quinta de Maipo D.O. Buin (Syrah) e D.O Pirque (cabernet sauvignon)
Produtor : Concha y Toro
Castas : 88% Syrah, 12% Cabernet Sauvignon
Graduação : 15%
Preço : R$ 565,00
Onde Comprar : Free Shopping Parque Recreio - Fortaleza


                   Hoje falaremos um pouco do vinho Gravas del Maipo um projeto ousado da gigante Concha y Toro, capitaneado pelo enólogo Enrique Tirado que com extrema habilidade e sensibilidade desenvolveu esse syrah ícone desta bodega.
                   A uva syrah  é uma das uva mais nobres da atualidade, capaz de produzir majestosos vinhos prontos para evoluir por décadas. Junto com a cabernet sauvignon e merlot forma a trilogia nobre dos tintos e vem se destacando em vários países. É a casta mais importante do norte do Rhône na França e predomina nos tintos australianos com o nome de Shiraz. Sempre foi tida como uma uva de regiões quentes, porém atualmente está ganhando espaço nos vinhedos plantados em regiões altas, onde amadurece mais devagar e de modo mais completo, ganhando em vivacidade e frescor. Dentre essas regiões se destaca o Chile de onde o nosso Gravas é gerado.
                Gravas del Maipo 2007, um vinho de cor rubi intenso quase roxo, com halo violáceo, demostrando que ainda tem muito o que evoluir. Lágrimas em abundância que descem lentamente pela taça. Seus aromas demonstram mirtilo, cassis, ameixa, tabaco, terra molhada, cedro e um pouco de menta. Na boca é intenso, potente, carnudo. Realmente um vinho mastigável. Achei que o álcool superou um pouquinho a acidez e o tanino, talvez mais três ou quatro anos de garrafa esse triângulo álcool, tanino e acidez fique equilátero. Tem ótima acidez e taninos bem elegantes apesar de muito jovem ainda. É vinho pra esperar mais 10 a 15 anos pra atingir a perfeição. Um belo projeto da chilena Concha y Toro que eu aprovei e indico.
               E o preço? Não resta dúvida que é muito salgado o valor desse vinho, e pasmem o senhores estive pesquisando por todos os sites e o preço mais barato que achei foi aqui em Fortaleza. Pra mim é um vinho de confraria. E como eu defino um vinho de confraria? Rsrsrsrsrsr... Vinho de confraria é aquele com preço proibitivo no qual  entorno dele se reúnem cinco ou seis enófilos malucos por vinho e dividem o valor da garrafa só pra ter e prazer e a curiosidade de provar algo que sozinho dói muito no bolso. Rsrsrsrsrsr...
                Pra harmonizar pedi um fray rack de cordeiro no restaurante Cabana del Primo em Fortaleza.

PS. Cabaña del Primo
Rua Maria Tomásia503
(85)3244-3691


segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Barolo Le Gramolere 1994 Magnum




Vinho : Le Gramolere
Tipo : Tinto seco
Safra : 1994
País : Itália
Região : Piemonte / Langhe / Barolo
Produtor : Giovanni Manzone (www.manzonegiovanni.com)
Casta : 100% Nebiolo
Graduação : 14%
Onde Comprar : Ville du Vin Moema (Moema/São Paulo)
Preço : R$ 800,00 ( Garrafa Magnum - 1500ml)

                      Barolo, é o nome de uma pequena cidade na zona de Langhe, no centro de Piemonte. O rei dos vinhos e o vinho dos reis. É desta maneira que os piemonteses sem muita modéstia, o classificam. Muitas vezes é um vinho  austero, difícil e complexo. Longe de ser um vinho pra iniciantes. Precisamos de algum treino para entender e apreciar corretamente um bom barolo. Manda a tradição que os barolos envelheçam na caves em grandes tonéis de madeira velha. Atualmente, alguns produtores mais modernos procuram tintos mais precoces, com bastante fruta, com passagem pelas pequenas barricas de carvalho, que não precisam envelhecer tanto e podem ser espetaculares. Hoje existe uma grande discussão entre o tradicional e moderno. O certo é que há vinhos maravilhosos em cada tempo e tudo não passa de uma questão de gosto pessoal. Portanto os que tem preferência pelo tradicional, devem esperar mais, já os que optarem pelo moderno, terão vinho prontos pra beber com menos tempo de garrafa. É só escolher o produtor certo e seu gosto será atendido.
                        Barolo Le Gramolere 1994 uma cor vermelho rubi translúcido com halo terracota, lágrimas em grande quantidade. Seus aromas são bem complexos no início notamos flores vermelhas e violeta em seguida couro, café e tabaco. Na boca espetacular, macio, taninos elegantes, acidez bem integrada com o álcool. Final de boca que lembra café e charuto com um retrogosto bem longevo.
                         Como diria os piemonteses este vinho está no ponto sendo assim torna-se "o vinho dos pensamentos". Pra tomar pensando nas coisas boas da vida, para filosofar e também para harmonizar com grandes assados. Na harmonização indico um filé ao funghi, vai bem com esse Barolo.
                          Comprei esse vinho para nossa confraria (Toru du Vin) assim saiu mais em conta em torno de R$160,00 pra cada. Todos os cinco confrades adoraram o Barolo. Realmente estava um espetáculo.

PS. Pela lei um Barolo deve envelhecer durante três anos nas adegas, dois dos quais na madeira. Os reservas só podem ser comercializados depois de cindo anos.

Ville du Vin
Rua Gaivota 1295
Moema - SP
(011) 5096-1283
                         

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Meiomi 2012, um Pinoir Noir americano de respeito.



Vinho : Meiomi Belle Glos
Tipo : Tinto seco
Safra : 2012
País : Estados Unidos
Região : Monterrey/Santa Barbara/Sonoma (Califórnia)
Produtor : Meiomi Wines
Casta : 100% Pinot Noir
Graduação : 14%
Onde Comprar : Total Wine (Orlando)
Preço : U$ 50,00 (preço em dólar)

                      Pinot noir, uma uva de difícil cultivo, gosta de clima frio, é a grande uva da Borgonha, mas ao longo dos anos vem se destacando em outros terrois principalmente nos Estados Unidos (Oregon e Califórnia), Nova Zelândia e Chile. Quando mal trabalhada origina vinhos diluídos, herbáceos e desequilibrados, porém quando é tratada com zelo atinge o exato equilíbrio e o resultado são vinhos excepcionais como este, Meiomi 2012.
                      Na taça vimos um vermelho rubi translúcido com lágrimas bem abundante. Seus aromas indicam violeta, cereja, morango, ameixa, mirtilo, cassis, anis, pimenta do reino e menta. Já deu pra notar a complexidade dos aromas desse vinho. Na boca perfeito, equilibrado, taninos macios (9 meses de barricas francesas), acidez bem elegante e álcool na medida certa. Um retrogosto muito longevo e bem agradável onde temos o morango a cereja e a ameixa como destaque.
                      Meiomi 2012 realmente um vinhaço, foi aberto junto com mais três cabernet sauvignon americanos e roubou a cena. "Deu de pau" nos três cabernets.
                      Pra harmonizar pedimos um carré de cordeiro no Restaurante Tango em Fortaleza, ficou perfeito. Parabéns ao amigo José Nilson pelo maravilhoso vinho que levou pra confraria.
                       Infelizmente procurei esse vinho aqui no Brasil mas não encontrei, então fica a dica se forem aos Estados Unidos passem na Total Wine (grande loja de vinho) e comprem umas garrafinhas deste néctar, é realmente dos Deuses.

PS. Notem que as uvas deste vinho foram colhidas de três terrois californianos distintos, Monterrey, Santa Bárbara e Sonoma isso nos dá uma idéia de como o enólogo Joseph J. Wagner caprichou na elaboração deste vinho. Meomi significa Costa na linguagem nativa.



segunda-feira, 29 de julho de 2013

Neo Sentido 2006



Vinho :  Neo Sentido
Tipo : Tinto seco
Safra : 2006
País : Espanha
Região : Castilha e Leon - Ribeira del Duero
Casta : 100% Tempranillo
Graduaçao : 14%
Produtor : Bodegas JC Conde Delgado
Onde Comprar : IGT / Dio Cuccina /Duo (Fortaleza -CE)
Preço : R$ 81,50

                            Após dois meses longe do blog voltamos com este maravilhoso vinho espanhol.Neo  Sentido 2006 um vinho da região de Castilha e Leon onde se destaca a uva tempranillo a principal uva tinta da Espanha. É no território espanhol que esta uva nos oferece os melhores vinhos do mundo com esta casta, portanto podemos chama-la de "A protagonista da Espanha".
                            Neo Sentido 2006 um vinho de aspecto cristalino, límpido, com lágrimas bem presentes e cor vermelho rubi com halo terracota apesar dos 07 anos de evolução. Seus aromas indicam frutas negras tipo ameixa, tabaco, couro, especiarias e defumado. Bem agradável no olfato. Na boca é prazeroso, elegante, taninos bem macios e retrogosto longo com sabor de ameixa. Muito equilibrado nos quesitos álcool, taninos e acidez. Mesmo com 14% de graduação alcoólica é bem agradável em boca.
                             Esse vinho surpreendeu muito positivamente, aproveitei a promoção da vinoteca IGT e comprei esse belo espanhol com 50% de desconto, realmente um achado. Pra harmonizar acho que um belo osso buco ou mesmo um confit de pato vão muito bem com ele.

PS. O preço informado já está com desconto.

IGT/ Dio Cuccina / Duo Self Service
Av. Senador  Virgílio Távora 1727
Cep. 60170-251
9085)3261-6598

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Maetierra Dominum QP 2006





Vinho : Maetierra Dominum QP 2006
Tipo : Tinto Seco
Safra : 2006
País : Espanha
Região : Rioja
Produtor : Bodega Matierra Dominum
Castas : Tempranillo, garnacha e graciano.
Onde comprar : Confraria Carioca

      Maetierra Dominum QP 2006 um vinho com uvas de quatro terroirs, rompendo por completo a teoria de terroir único. Cor vermelho bordô com halo terracota, lágrimas bem presentes e lentas. Seus aromas nos remetem a frutas negras em compotas (ameixa), além de couro, tabaco e especiarias (pimenta do reino). Na boca é elegante com taninos presentes e finos. Tem boa acidez e apesar dos 14% de álcool é bem macio e fácil de beber. Um vinho bem interessante, surpreendente, complexo e estruturado. Esse eu aprovei e indico.
        Harmonizei com paleta de cordeiro ao forno do Restaurante Medit em Fortaleza. Comprei esse espanhol na Confraria Carioca, vinoteca do amigo Duda Zagari.

PS. Matierra Dominum QP 2006 amadurece 15 a 18 meses em barricas e um ano em garrafa.

Restaurante Medit
Rua Professor Dias da Rocha 579
(85) 3021-3070




Confraria Carioca
R. General Severiano 97 Loja 237 A
CEP 22290-040
Botafogo Rio de Janeiro -RJ
(21) 2244-2286
  

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Degustação Paulo Laureano Vinus




    No último dia 22.04.2013 o Restaurante Parque Recreio (Fortaleza-CE) promoveu degustação da vinícola Paulo Laureano Vinus com a presença do destacado enólogo Paulo Laureano. O enólogo que já foi escolhido em 2004 o melhor do ano em Portugal, apresentou seus vinhos discorrendo sobre os aspectos e razões que o levam a valorizar uvas portuguesas especialmente uvas da região da Vidigueira (Alentejo), onde está estabelecida sua quinta. Com o tema Vinho com Alma o enólogo nos mostrou sua alquimia baseado nos aspectos geográficos, poéticos e técnicos da elaboração dos seus produtos.
    Foram apresentados cinco vinhos, Paulo Laureano Reserve Branco 2011, Paulo Laureano Clássico Tinto 2011, Paulo Laureano Premium Tinto 2010, Paulo Laureano Reserve Tinto 2009 e  Paulo Laureano Selectio Tinta Grossa 2009. Dos cinco escolhemos dois pra analisar e contar pra vocês a nossa cata.




                         Paulo Laureano Reserve Branco 2011 (100% Antão Vaz)
      Um vinho de cor amarelo citrino, cristalino com lágimas bem presentes. Nos aromas temos abacaxi, damasco e tangerina. Na boca mesmo com 8 meses de barrica me impressionou e me ganhou pela belíssima acidez e pelo frescor. Um vinho com a cara do nosso clima.

                          Paulo Laureano Selectio Tinta Grossa 2009 (100% Tinta Grossa)
      Cor granada, lágrimas abundantes e lentas, no nariz expressa frutas compotadas tipo ameixa, morango maduro, cedro, tabaco e couro. Na boca elegante acidez, tanino e álcool bem integrados, retrogosto longo que lembra ameixa e chocolate. Chamou muita a tenção pela elegância e pela desconhecida Tinta Grossa.

        Dois vinhaços que eu aprovei e indico. Parabéns ao pessoal do Parque Recreio pela iniciativa e pelo belíssimo evento, em especial agradeço ao amigo e empreendedor Paulo Elias pelo convite.

PS. No evento foi degustado também o Azeite Extra Virgem Paulo Laureano 500ml com acidez 0,2% também produzido pela Paulo Laureano Vinus.




quarta-feira, 10 de abril de 2013

Prima 2006, enfrentou bem uma costela bovina.



Vinho : Prima
Tipo : Tinto seco
Safra : 2066
País : Espanha
Região : Toro
Produtor : Bodega e Vinhedos Maurodos
Castas : 90% Tinta de Toro, 10% Garnacha
Graduação : 14,5%
Onde Comprar : Grand Cru
Preço : R$ 91,00

                        Prima 2006, um vinho feito em sua maioria da uva Tinta de Toro nome que se dá a protagonista espanhola tempranillo na região de Toro. Um vinho de cor vermelho bordô com bordas atijoladas demonstrando boa evolução. Suas lágrima são bem presentes e refletem a cor tijolo do halo. Nos aromas identificamos frutas negras maduras, café, tabaco, couro, estábulo e baunilha. Na boca elegante, intenso, taninos bem domados, acidez ótima e final de boca longevo que lembra café e ameixa. Muito fácil de beber esse vinho, apesar dos 14,5% de álcool que na realidade não se percebe. Gostei bastante e indico.



                        Harmonizamos esse espanhol da região de Toro com a maravilhosa costela bovina no bafo do Restaurante cantinho do Frango, pra mim o melhor restaurante de comida regional de Fortaleza. O palco foi a casa de praia do amigo Sílvio Fiúza no Beach Park, uma vista privilegiada.


PS : Cantinho do Frango
        Rua Torres Câmara 71  CEP 60150-060
        Aldeota - Fortaleza - Ceará
         Tel. (85) 3224-6112

quarta-feira, 27 de março de 2013

Nem só de malbec vive a Argentina. Antucura blend selection 2007



Vinho : Antucura blend selection
Tipo : Tinto seco
Safra : 2007
País : Argentina
Região : Vista Flores Mendoza
Produtor : Bodega Antucura
Castas : 50% merlot, 40% cabernet sauvignon, 10% malbec
Graduação : 14,8%


                  Anne-Caroline Biancheri é francesa, enóloga e proprietária da Bodeca Antucura, tem além da sensibilidade feminina na produção de um bom vinho o tripé paixão, paciência e tempo como seu principal foco. Foi ancorada nestes princípios que ela produziu o belíssimo Antucura Blend Selection 2007.
                  Antucura 2007 tem cor vermelho rubi intenso com halo violáceo, lágrimas bem presentes e de desfile lento. Seus aromas lembram bastante frutas vermelhas maduras, e frutas negras tipo ameixa. Destaca-se também pelas notas de baunilha, café e couro. Na boca muito elegante, taninos macios, retrogosto bem persistente e muito agradável lembrando café e chocolate. Uma grata surpresa, afinal tanto o vinho quanto a vinícola eram desconhecidos pra mim.
                    Esse maravilhoso vinho argentino foi levado para um almoço na casa do Dr. Arruda pelo amigo Gilson Gondim . Foi o grande destaque do almoço e  para harmonizar escolhemos dentre os vários pratos existentes um maravilhoso pernil de porco no forno. Infelizmente vou ficar devendo a foto do pernil.
                     Não encontrei esse vinho pra vender no Brasil no entanto fica a dica pra quando os amigos forem a Argentina não deixem de procurar, é realmente dos Deuses.

                 


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

O melhor vinho do carnaval 2013



Vinho : Porto Krohn
Tipo : Fortificado Tinto
Safra : 1966
Engarrafado : 2006
País : Portugal
Região : Douro
Produtor :Wiese & Krohn
Castas : Touriga nacional, tinta roriz, tinta barroca,tinta cão e touriga franca.

             Porto Krohn Colheita 1966 (engarrafado em 2006) foi o destaque das alegorias e adereços deste carnaval 2013. Um visual alaranjado bem característico da oxidação dos 40 anos de casco, seu aromas transmitem toda a tipicidade de um porto evoluído, temos nozes, avelã, nutela e castanha. As frutas secas predominam no olfato. Na boca simplesmente maravilhoso, elegante, sedoso, acidez ótima, álcool no ponto, um verdadeiro nectar. Inesquecível esse porto oferecido pelo amigo Marcus Borges o nosso anfitrião do carnaval.Um final de boca longo e inesquecível.
             Porto colheita é um tipo de vinho do Porto que envelhece em cascos de madeira de quase 600 litros por no mínimo sete anos. Suas uvas são provenientes de uma mesma colheita indicada no rótulo. São engarrafados a medida que o produtor acha necessário, portanto podemos ter Portos com mesmo ano de colheita e diferentes anos de engarrafamento, caracterizando vinhos bem diferentes. É certo que quanto mais tempo de barrica (casco) mais apurado fica o vinho e mais salgado é seu preço.
            Temos no rótulo de um Porto colheita duas datas, a da colheita que se destaca mais e a do seu engarrafamento, isso nos diz quanto tempo ele permaneceu nos cascos. São sempre feitos com uvas de uma mesma safra sem a seleção rigorosa dos vintages e dos late botled vintage, portanto sua qualidade está na maturação em madeira e em geral são produzidos todos os anos.
            São vinhos chamados de vinhos de aniversário devido ao fato de muitas vezes escolhermos vinhos que tenha a data da colheita coincidindo com a data de nascimento do aniversariante. Combinam com foie gras, sobremesas a base de chocolate e com um belo charuto. O que escolhemos foi um Partagas black-label máximo, acho que ficou bem a altura deste porto estupendo.




PS: Estamos falando de um Porto Colheita 1966 segundo os especialistas ano de excelência para o vinho do Porto.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

O duelo de gigantes... Antinori X Frescobaldi


 


       Nas minhas garimpagens enológicas desta vez no supermercado SAM'S CLUB encontrei dois vinho básicos italianos (supertoscanos) de dois produtores emblemáticos de grande prestígio mundial. Comprei os dois vinhos já sabendo que apesar de pertencerem a grandes produtores eram vinhos básicos, pra se beber no dia a dia.
      Por se tratar de grandes produtores resolvi também esperar a  oportunidade pra abrir os dois ao mesmo tempo e compara-los harmonizando com pizza. Sim, pizza, iguaria italiana que combina perfeitamente com os básicos da toscana.

        O local foi a bucólica Guaramiranga (região serrana a 100Km de Fortaleza), na pousada do Tutuca, fizemos um festival de pizzas protagonizado pelo meu cunhado Lula ( Luiz Antônio Matos Brito Jr) e filho  do proprietário da agradável pousada, o nosso sempre simpático Tutuca. Com os ingredientes em mãos Lula mostrando sua criatividade e botando literalmente a mão na massa.


     Com o forno em chamas aguardando a temperatura ideal  fomos abrindo os vinhos... Primeiro o Rèmole 2010 de Marchesi de Frescobaldi um blend de cabernet sauvignon e sangiovese de cor rubi com lágrimas abundantes, que deixou muito a desejar nos aromas. O vinho quase não abriu, depois de muito esperar deparamos com algumas notas de café e cedro, nada de frutas. Na boca é um vinho com boa acidez, notamos um pouco de álcool além da conta, porém os taninos eram elegantes. Vimos portanto algum desequilíbrio no triângulo, álcool, acidez e tanino.O álcool roubou a cena.
    O segundo vinho também supertoscano básico foi o Santa Cristina 2010 de Antinori, um blend de merlot e sangiovese. No nariz seu aroma foram bem amplos, complexos, com notas de couro, tabaco, café torrado e frutas negras. Na boca bem elegante, ótima acidez (pede pizza), álcool bem integrado e taninos bem notados porém palatáveis.
     Como vimos acima, no duelo dos Marchesi,  Antinori levou a melhor...

PS. Os vinhos custaram R$59,00 cada.